Coleccionamos os nossos próprios cromos. Apostamos e partilhamos dicas. Cedemos à idolatria. Fascinamo-nos com a ousadia, o talento e a intenção de quem concretizou o inesperado. Enaltecemos campeões quebrados que não se deixaram torcer. Alimentamos teorias da conspiração desde que o fumo convença a lógica com que compreendemos aquele fogo. Soltámos o geek que hospedamos e assumimos o vício. Se também albergas um, o sofá não tem limite de lugares. Instala-te. E quando ou se te sentires à vontade, ressaca connosco e comenta. Sê bem-vindo.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

OS ONZE DO SOFÁ NA EUROPA - JANEIRO 2017

PRIMEIRA LIGA

Makaridze (Moreirense)
2ª Escolha: Vana (Feirense)

Nelson Semedo
 (Benfica)
2ª Escolha: Anderson Luis (Arouca)

Lindelof 
(Benfica)
2ª Escolha: Josué (Vitória Guimarães)

Marcano (Porto)
2ª Escolha: Raul Silva (Marítimo)

Telles (Porto)
2ª Escolha: Nelson Lenho (Chaves)

Sen
 (Marítimo)
2ª Escolha: Cauê (Moreirense)

Francisco Geraldes (Moreirense)
2ª Escolha: Pizzi (Benfica)

Fábio Martins (Chaves)
2ª Escolha: Podence (Moreirense)

Ghazaryan
 (Marítimo)
2ª Escolha: Corona (Porto)

Jonas
 (Benfica)
2ª Escolha: Platiny (Feirense)

Bas Dost (Sporting)
2ª Escolha: Dyego Souza (Marítimo)

Daniel Ramos (Marítimo)
2ª Escolha: Augusto Inácio (Moreirense)


LIGUE 1

Prior (Bordeus)
2ª Escolha: Trapp (PSG)

Meunier
 (PSG)
2ª Escolha: Souquet (Nice)

Lewczuk (Bordeus)
2ª Escolha: Marquinhos (PSG)

Perrin (St.-Etienne)
2ª Escolha: Thiago Silva (PSG)

Sidibé (Monaco)
2ª Escolha: Pellenard (Bordeus)

Fabinho (Monaco)
2ª Escolha: Toulalan (Bordeus)

Vada (Bordeus)
2ª Escolha: Matuidi (PSG)

Hamouma (St.-Etienne)
2ª Escolha: Lees Melou (Dijon)

Bernardo Silva (Monaco)
2ª Escolha: Monnet-Pacquet (St.-Etienne)

Lacazette
(Lyon)
2ª Escolha: Germain (Monaco)

Cavani (PSG)
2ª Escolha: Gomis (Marselha)

Leonardo Jardim (Monaco)
2ª Escolha: Christophe Galtier (St.-Etienne)


SERIE A

Handanovic (Inter)
2ª Escolha: Mirante (Bolonha)

D'Ambrosio
 (Inter)
2ª Escolha: Bruno Peres (Roma)

Miranda (Inter)
2ª Escolha: Tonelli (Nápoles)

Fazio (Roma)
2ª Escolha: Chiellini (Juventus)

Pasqual
 (Empoli)
2ª Escolha: Emerson (Roma)

Nainggolan (Roma)
2ª Escolha: Freuler (Atalanta)

Dzemailli (Bolonha)
2ª Escolha: Khedira (Juventus)

Mertens (Nápoles)
2ª Escolha: Joao Mário (Inter)

Perisic (Inter)
2ª Escolha: Gomez (Atalanta)

Higuain (Juventus)
2ª Escolha: Simeone (Genova)

Icardi
 (Inter)
2ª Escolha: Falcinelli (Crotone)

Stefano Pioli (Inter)
2ª Escolha: Paulo Sousa (Fiorentina)


LA LIGA

Moya (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Iraizoz (Athletic)

Vrsaljko (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Mallo (Celta)

Fontas
(Celta)
2ª Escolha: Laguardia (Alavés)

Godin (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Alvaro Gonzalez (Villarreal)

Filipe Luís (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Piccini (Betis)

Casemiro (Real Madrid)
2ª Escolha: Radoja (Celta)

Saul Ñiguez 
(Atletico Madrid)
2ª Escolha: Colak (Depor)

Koke (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Vazquez (Sevilha)

Nani (Valencia)
2ª Escolha: Muniain (Athletic)

Messi (Barcelona)
2ª Escolha: Griezmann (Atletico Madrid)

Ben Yedder (Sevilha)
2ª Escolha: Luis Suarez (Barcelona)

Eduardo Berizzo (Celta)
2ª Escolha: Jorge Sampaoli (Sevilha)


PREMIER LEAGUE

Robles (Everton)
2ª Escolha: Courtois (Chelsea)

Coleman (Everton)
2ª Escolha: Walker (Tottenham)

Ashley Williams (Everton)
2ª Escolha: Alderweireld (Tottenham)

Funes Mori (Everton)
2ª Escolha: David Luiz (Chelsea)

Baines (Everton)
2ª Escolha: Marcos Alonso (Chelsea)

Adam (Stoke)
2ª Escolha: Matic (Chelsea)

Tom Davies (Everton)
2ª Escolha: Fletcher (WBA)

Alli (Tottenham)
2ª Escolha: Barkley (Everton)

Eriksen (Tottenham)
2ª Escolha: Sigurdsson (Swansea)

Alexis (Arsenal)
2ª Escolha: Ibrahimovic (Manchester United)

Kane
 (Tottenham)
2ª Escolha: Lukaku (Everton)

Ronald Koeman (Everton)
2ª Escolha: Mauricio Pochettino (Tottenham)

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

OS ONZE DO SOFÁ NA EUROPA - DEZEMBRO 2016

PRIMEIRA LIGA

Casillas (Porto)
2ª Escolha: Ederson (Benfica)

Bruno Gaspar
 (Vitória Guimarães)
2ª Escolha: Paulinho (Chaves)

Felipe 
(Porto)
2ª Escolha: Josué (Vitória Guimarães)

Marcano (Porto)
2ª Escolha: André Pinto (Braga)

Rafa (Rio Ave)
2ª Escolha: Nelson Lenho (Chaves)

Fejsa
 (Benfica)
2ª Escolha: Danilo (Porto)

Pizzi (Benfica)
2ª Escolha: Xeka (Braga)

Óliver (Porto)
2ª Escolha: Krovinovic (Rio Ave)

Raphinha
 (Vitória Guimarães)
2ª Escolha: Cervi (Benfica)

Gonçalo Guedes
 (Benfica)
2ª Escolha: Wilson Eduardo (Braga)

André Silva (Porto)
2ª Escolha: Welthon (Paços Ferreira)

Nuno Espirito Santo (Porto)
2ª Escolha: Luis Castro (Rio Ave)


LIGUE 1

Pelé (Marselha)
2ª Escolha: Anthony Lopes (Lyon)

Sakai
 (Marselha)
2ª Escolha: Corchia (Lille)

Rolando (Marselha)
2ª Escolha: Sarr (Nice)

Fanni (Marselha)
2ª Escolha: Diakhaby (Lyon)

Sidibé (Monaco)
2ª Escolha: Morel (Lyon)

Bakayoko (Monaco)
2ª Escolha: Zambo Anguissa (Marselha)

Vainqueur (Marselha)
2ª Escolha: Seri (Nice)

Valbuena (Lyon)
2ª Escolha: Lopez (Marselha)

Thauvin (Marselha)
2ª Escolha: Salibur (Guingamp)

Briand (Guingamp)
2ª Escolha: Lemar (Monaco)

Falcao (Monaco)
2ª Escolha: Gomis (Marselha)

Rudi Garcia (Marselha)
2ª Escolha: Lucien Favre (Nice)


SERIE A

Karnezis (Udinese)
2ª Escolha: Szczesny (Roma)

D'Ambrosio
 (Inter)
2ª Escolha: Hysaj (Nápoles)

Rugani (Juventus)
2ª Escolha: Miranda (Inter)

Felipe (Udinese)
2ª Escolha: Chiellini (Juventus)

Alex Sandro
(Juventus)
2ª Escolha: Samir (Udinese)

Nainggolan (Roma)
2ª Escolha: Fofana (Udinese)

Brozovic (Inter)
2ª Escolha: Milinkovic-Savic (Lazio)

Hamsik (Nápoles)
2ª Escolha: Candreva (Inter)

Zielinski (Nápoles)
2ª Escolha: Bernardeschi (Fiorentina)

Mertens (Nápoles)
2ª Escolha: Higuain (Juventus)

Théreau
 (Udinese)
2ª Escolha: Icardi (Inter)

Maurizio Sarri (Nápoles)
2ª Escolha: Luigi Del Neri (Udinese)


BUNDESLIGA

Neuer (Bayern)
2ª Escolha: Schwolow (Friburgo)

Lahm
 (Bayern)
2ª Escolha: Sakai (Hamburgo)

Hummels
 (Bayern)
2ª Escolha: Hubner (Hoffenheim)

Javi Martinez (Bayern)
2ª Escolha: Soyuncu (Friburgo)

Alaba (Bayern)
2ª Escolha: Toljan (Hoffenheim)

Oztrzolek (Hamburgo)
2ª Escolha: Jung (Hamburgo)

Vidal (Bayern)
2ª Escolha: Cohen (Ingolstadt)

Thiago Alcântara (Bayern)
2ª Escolha: Kostic (Hamburgo)

Robben (Bayern)
2ª Escolha: Gnabry (Werder Bremen)

Niederlechner (Friburgo)
2ª Escolha: Dembélé (Dortmund)

Lewandowski (Bayern)
2ª Escolha: Wagner (Hoffenheim)

Carlo Ancelotti (Bayern)
2ª Escolha: Markus Gisdol (Hamburgo)


LA LIGA

Asenjo (Villarreal)
2ª Escolha: Pacheco (Alavés)

Mario (Villarreal)
2ª Escolha: Juanfran (Depor)

Sergio Ramos
 (Real Madrid)
2ª Escolha: Sidnei (Depor)

Victor Ruiz (Villarreal)
2ª Escolha: Feddal (Alavés)

Jordi Alba (Barcelona)
2ª Escolha: Jaume Costa (Villarreal)

Iborra (Sevilha)
2ª Escolha: Busquets (Barcelona)

Trigueros 
(Villarreal)
2ª Escolha: Fornals (Malaga)

Jonathan dos Santos (Villarreal)
2ª Escolha: Iniesta (Barcelona)

Sansone (Villarreal)
2ª Escolha: Carmona (Gijón)

Messi (Barcelona)
2ª Escolha: Cristiano Ronaldo (Real Madrid)

Luis Suarez (Barcelona)
2ª Escolha: Andone (Depor)

Fran Escribá (Villarreal)
2ª Escolha: Gaizka Garitano (Depor)


PREMIER LEAGUE

Courtois (Chelsea)
2ª Escolha: De Gea (Manchester United)

Azpilicueta (Chelsea)
2ª Escolha: Walker (Tottenham)

Phil Jones (Manchester United)
2ª Escolha: Cahill (Chelsea)

David Luiz (Chelsea)
2ª Escolha: Vertonghen (Tottenham)

Marcos Alonso (Chelsea)
2ª Escolha: Rose (Tottenham)

Carrick (Manchester United)
2ª Escolha: Wanyama (Tottenham)

Pogba (Manchester United)
2ª Escolha: Herrera (Manchester United)

Fabregas (Chelsea)
2ª Escolha: Ozil (Arsenal)

Eriksen (Tottenham)
2ª Escolha: Hazard (Chelsea)

Alexis (Arsenal)
2ª Escolha: Pedro Rodriguez (Chelsea)

Ibrahimovic
 (Manchester United)
2ª Escolha: Diego Costa (Chelsea)

Antonio Conte (Chelsea)
2ª Escolha: José Mourinho (Manchester United)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

OS ONZE DO SOFÁ NA EUROPA - NOVEMBRO 2016

PRIMEIRA LIGA

Joel Pereira (Belenenses)
2ª Escolha: Ederson (Benfica)

Nelson Semedo
 (Benfica)
2ª Escolha: Paulinho (Chaves)

Coates 
(Sporting)
2ª Escolha: Luisão (Benfica)

Marcano (Porto)
2ª Escolha: João Afonso (Estoril)

Nelson Lenho (Chaves)
2ª Escolha: Florent (Belenenses)

Diogo Amado
 (Estoril)
2ª Escolha: Xeka (Braga)

Pizzi (Benfica)
2ª Escolha: André Sousa (Belenenses)

Gelson (Sporting)
2ª Escolha: Wilson Eduardo (Braga)

Cervi
 (Benfica)
2ª Escolha: Renato Santos (Boavista)

Gonçalo Guedes
 (Benfica)
2ª Escolha: Gustavo (Estoril)

Soares (Vitória Guimarães)
2ª Escolha: Bas Dost (Sporting)

Rui Vitória (Benfica)
2ª Escolha: Fabiano Soares (Estoril)


LIGUE 1

Subasic (Monaco)
2ª Escolha: Ruffier (St. Etienne)

Sidibé
 (Monaco)
2ª Escolha:Cuffaut (Nancy)

Thiago Silva (PSG)
2ª Escolha: Jemerson (Monaco)

Diakhaby (Lyon)
2ª Escolha: Glik (Monaco)

Maxwell (PSG)
2ª Escolha: Badila (Nancy)

Fabinho (Monaco)
2ª Escolha: Gonalons (Lyon)

Verratti (PSG)
2ª Escolha: Tolisso (Lyon)

Bernardo Silva (Monaco)
2ª Escolha: Lucas Moura (PSG)

Boudebouz (Montpellier)
2ª Escolha: Lemar (Monaco)

Germain (Monaco)
2ª Escolha: Kamano (Bordéus)

Carrillo (PSG)
2ª Escolha: Cavani (Lyon)

Leonardo Jardim (Monaco)
2ª Escolha: Unai Emery (PSG)


SERIE A

Joe Hart (Torino)
2ª Escolha: Donnarumma (Milan)

Basta
 (Lazio)
2ª Escolha: Zappacosta (Torino)

Caldara (Atalanta)
2ª Escolha: Rossettini (Torino)

Masiello (Atalanta)
2ª Escolha: Radu (Lazio)

Spinazzola (Atalanta)
2ª Escolha: Alex Sandro (Juventus)

Kessié (Atalanta)
2ª Escolha: Biglia (Lazio)

Milinkovic-Savic (Lazio)
2ª Escolha: Benassi (Torino)

Perotti (Roma)
2ª Escolha: Ljajic (Torino)

Suso (Milan)
2ª Escolha: Salah (Roma)

Belotti (Torino)
2ª Escolha: Muriel (Sampdoria)

Icardi
 (Inter)
2ª Escolha: Quagliarella (Sampdoria)

Gian Piero Gasperini (Atalanta)
2ª Escolha: Sinisa Mihajlovic (Torino)


BUNDESLIGA

Hitz (Augsburg)
2ª Escolha: Jarstein (Hertha)

Verhaegh
 (Augsburg)
2ª Escolha: Pekarik (Hertha)

Howedes
 (Schalke)
2ª Escolha: Brooks (Hertha)

Janker (Augsburg)
2ª Escolha: Orban (RB Leipzig)

Kolasinac (Schalke)
2ª Escolha: Stafylidis (Augsburg)

Demme (RB Leipzig)
2ª Escolha: Geis (Schalke)

Huszti (Frankfurt)
2ª Escolha: Goretzka (Schalke)

Keita (RB Leipzig)
2ª Escolha: Schopf (Schalke)

Forsberg (RB Leipzig)
2ª Escolha: Brandt (Leverkusen)

Werner (RB Leipzig)
2ª Escolha: Kalou (Hertha)

Aubameyang (Dortmund)
2ª Escolha: Poulsen (RB Leipzig)

Ralph Hassenhuttl (RB Leipzig)
2ª Escolha: Niko Kovac (Frankfurt)


LA LIGA

Navas (Real Madrid)
2ª Escolha: Diego Lopez (Espanyol)

Carlos Martinez (Real Sociedad)
2ª Escolha: Carvajal (Real Madrid)

Reyes
 (Espanyol)
2ª Escolha: Raul Navas (Real Sociedad)

Nacho (Real Madrid)
2ª Escolha: Feddal (Alavés)

Aaron Martin (Espanyol)
2ª Escolha: Marcelo (Real Madrid)

Zurutuza (Real Sociedad)
2ª Escolha: Camarasa (Alavés)

Fornals 
(Malaga)
2ª Escolha: Modric (Real Madrid)

Piatti (Espanyol)
2ª Escolha: Viera (Las Palmas)

Bale (Real Madrid)
2ª Escolha: Vitolo (Sevilha)

Sandro Ramirez (Malaga)
2ª Escolha: Willian José (Real Sociedad)

Cristiano Ronaldo (Real Madrid)
2ª Escolha: Gerard Moreno (Espanyol)

Eusebio (Real Sociedad)
2ª Escolha: Zinedine Zidane (Real Madrid)


PREMIER LEAGUE

Courtois (Chelsea)
2ª Escolha: Karius (Liverpool)

Azpilicueta (Chelsea)
2ª Escolha: Nyom (WBA)

Cahill (Chelsea)
2ª Escolha: Matip (Liverpool)

McAuley (WBA)
2ª Escolha: David Luiz (Chelsea)

Marcos Alonso (Chelsea)
2ª Escolha: Van Aanholt (Sunderland)

Matic (Chelsea)
2ª Escolha: Emre Can (Liverpool)

Yara Touré (Man City)
2ª Escolha: Morrison (WBA)

Phillips (WBA)
2ª Escolha: Mané (Liverpool)

Hazard (Chelsea)
2ª Escolha: Firmino (Liverpool)

Pedro Rodriguez (Chelsea)
2ª Escolha: Aguero (Man City)

Diego Costa
 (Chelsea)
2ª Escolha: Defoe (Sunderland)

Antonio Conte (Chelsea)
2ª Escolha: Tony Pulis (WBA)

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

OS ONZE DO SOFÁ NA EUROPA - OUTUBRO 2016

PRIMEIRA LIGA

Ederson (Benfica)
2ª Escolha: Casillas (Porto)

Nelson Semedo
 (Benfica)
2ª Escolha: Bruno Gaspar (Vitória Guimarães)

Luisão 
(Benfica)
2ª Escolha: Josué (Vitória Guimarães)

Lindelof (Benfica)
2ª Escolha: Marcano (Porto)

Grimaldo (Benfica)
2ª Escolha: Layún (Porto)

Fejsa
 (Benfica)
2ª Escolha: João Pedro (Vitória Guimarães)

Pizzi (Benfica)
2ª Escolha: Carraça (Boavista)

Óliver (Porto)
2ª Escolha: João Aurélio (Vitória Guimarães)

Diogo Jota
 (Porto)
2ª Escolha: Sálvio (Benfica)

Gonçalo Guedes
 (Benfica)
2ª Escolha: Marega (Vitória Guimarães)

André Silva (Porto)
2ª Escolha: Mitroglou (Benfica)

Rui Vitória (Benfica)
2ª Escolha: Pedro Martins (Vitória Guimarães)


LIGUE 1

Karl-Johan Johnsson (Guingamp)
2ª Escolha: Aréola (PSG)

Ikoko
 (Guingamp)
2ª Escolha: Fanni (Marselha)

Sorbon (Guingamp)
2ª Escolha: Thiago Silva (PSG)

Doria (Marselha)
2ª Escolha: Kerbrat (Guingamp)

Marçal (Guingamp)
2ª Escolha: Bedimo (Marselha)

Cyprien (Nice)
2ª Escolha: Diarra (Nancy)

Seri (Nice)
2ª Escolha: Veretout (Saint-Étienne)

Grosicki (Rennes)
2ª Escolha: Belhanda (Nice)

Salibur (Guingamp)
2ª Escolha: Boudebouz (Montpellier)

Pléa (Nice)
2ª Escolha: Briand (Guingamp)

Cavani (PSG)
2ª Escolha: Lacazette (Lyon)

Lucien Favre (Nice)
2ª Escolha: Antoine Kombouaré (Guingamp)


SERIE A

Berisha (Atalanta)
2ª Escolha: Szczesny (Roma)

Conti
 (Atalanta)
2ª Escolha: Florenzi (Roma)

Caldara (Atalanta)
2ª Escolha: Manolas (Roma)

Masiello (Atalanta)
2ª Escolha: Chiellini (Juventus)

Dramé (Atalanta)
2ª Escolha: Alex Sandro (Juventus)

Locatelli (Milan)
2ª Escolha: Nainggolan (Roma)

Benassi (Torino)
2ª Escolha: Di Gennaro (Cagliari)

Ljajic (Torino)
2ª Escolha: Bonaventura (Milan)

Salah (Roma)
2ª Escolha: Kurtic (Atalanta)

Immobile (Lazio)
2ª Escolha: Higuain (Juventus)

Dzeko
 (Roma)
2ª Escolha: Kalinic (Fiorentina)

Gian Piero Gasperini (Atalanta)
2ª Escolha: Luciano Spalletti (Roma)


BUNDESLIGA

Gulacsi (RB Leipzig)
2ª Escolha: Baumann (Hoffenheim)

Kaderabek
 (Hoffenheim)
2ª Escolha: Chandler (Frankfurt)

Sule
 (Hoffenheim)
2ª Escolha: Compper (RB Leipzig)

Orban (RB Leipzig)
2ª Escolha: Hubner (Hoffenheim)

Halstenberg (RB Leipzig)
2ª Escolha: Alaba (Bayern)

Demme (RB Leipzig)
2ª Escolha: Vogt (Hoffenheim)

Bentaleb (Schalke)
2ª Escolha: Vidal (Bayern)

Robben (Bayern)
2ª Escolha: Fabian (Frankfurt)

Keita (RB Leipzig)
2ª Escolha: Philipp (Freiburg)

Modeste (Colónia)
2ª Escolha: Kramaric (Hoffenheim)

Lewandowski (Bayern)
2ª Escolha: Wagner (Hoffenheim)

Julian Nagelsmann (Hoffenheim)
2ª Escolha: Ralph Hassenhuttl (RB Leipzig)


LA LIGA

Ter Stegen (Barcelona)
2ª Escolha: Rulli (Real Sociedad)

Carlos Martinez (Real Sociedad)
2ª Escolha: Mariano (Sevilha)

Varane
 (Real Madrid)
2ª Escolha: Raul Navas (Real Sociedad)

Iñigo Martinez (Real Sociedad)
2ª Escolha: Reyes (Espanyol)

Marcelo (Real Madrid)
2ª Escolha: Digne (Barcelona)

Mario Suarez (Valencia)
2ª Escolha: Camacho (Malaga)

Kroos 
(Real Madrid)
2ª Escolha: Roberto Torres (Osasuna)

Isco (Real Madrid)
2ª Escolha: Rafinha (Barcelona)

Ferreira Carrasco (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Xabi Prieto (Real Sociedad)

Messi (Barcelona)
2ª Escolha: Iago Aspas (Celta)

Cristiano Ronaldo (Real Madrid)
2ª Escolha: Benzema (Real Madrid)

Jorge Sampaoli (Sevilha)
2ª Escolha: Zinedine Zidane (Real Madrid)


PREMIER LEAGUE

Courtois (Chelsea)
2ª Escolha: Grant (Stoke)

Bardsley (Stoke)
2ª Escolha: Bellerín (Arsenal)

Cahill (Chelsea)
2ª Escolha: Shawcross (Stoke)

David Luiz (Chelsea)
2ª Escolha: Britos (Watford)

Holebas (Watford)
2ª Escolha: Marcos Alonso (Chelsea)

Gundogan (Manchester City)
2ª Escolha: Matic (Chelsea)

Joe Allen (Stoke)
2ª Escolha: Kanté (Chelsea)

Ozil (Arsenal)
2ª Escolha: Coutinho (Liverpool)

Hazard (Chelsea)
2ª Escolha: Shaqiri (Stoke)

Alexis (Arsenal)
2ª Escolha: Bony (Stoke)

Lukaku
 (Everton)
2ª Escolha: Diego Costa (Chelsea)

Antonio Conte (Chelsea)
2ª Escolha: Mark Hughes (Stoke)

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

OS ONZE DO SOFÁ NA EUROPA - SETEMBRO 2016

PRIMEIRA LIGA

Rui Patrício (Sporting)
2ª Escolha: Júlio César (Benfica)

Baiano
 (Braga)
2ª Escolha: Layún (Porto)

Coates 
(Sporting)
2ª Escolha: Lindelof (Benfica)

Semedo (Sporting)
2ª Escolha: Gonçalo Brandão (Belenenses)

Grimaldo (Benfica)
2ª Escolha: Goiano (Braga)

Fejsa
 (Benfica)
2ª Escolha: William (Sporting)

Pedrinho (Paços Ferreira)
2ª Escolha: Battaglia (Chaves)

Gélson (Sporting)
2ª Escolha: Gil Dias (Rio Ave)

Otávio
 (Porto)
2ª Escolha: Pedro Santos (Braga)

Marega (Vitória Guimarães)
2ª Escolha: Gonçalo Guedes (Benfica)

André Silva (Porto)
2ª Escolha: Bas Dost (Sporting)

José Couceiro (Vitória Setúbal)
2ª Escolha: Nuno Capucho (Rio Ave)


LIGUE 1

Lafon (Toulouse)
2ª Escolha: Cardinale (Nice)

Ricardo Pereira
 (Nice)
2ª Escolha: Sabaly (Bordéus)

Glik (Mónaco)
2ª Escolha: Baysse (Nice)

Marang Sarr (Nice)
2ª Escolha: Jullien (Toulouse)

Dalbert (Nice)
2ª Escolha: Moubandje (Toulouse)

Fabinho (Mónaco)
2ª Escolha: Cyprien (Nice)

Tolisso (Lyon)
2ª Escolha: Seri (Nice)

Bernardo Silva (Mónaco)
2ª Escolha: Hamouma (St.Étienne)

Malcolm (Bordéus)
2ª Escolha: Lucas Moura (PSG)

Erding (Metz)
2ª Escolha: Pléa (Nice)

Cavani (PSG)
2ª Escolha: Gomis (Marselha)

Lucien Favre (Nice)
2ª Escolha: Pascal Dupraz (Toulouse)


SERIE A

Donnarumma (Milan)
2ª Escolha: Buffon (Juventus)

Dani Alves
 (Juventus)
2ª Escolha: Cacciatore (Chievo)

Koulibaly (Nápoles)
2ª Escolha: Barzagli (Juventus)

Chiellini (Juventus)
2ª Escolha: Albiol (Nápoles)

Alex Sandro (Juventus)
2ª Escolha: Goulham (Nápoles)

Lemina (Juventus)
2ª Escolha: Badelj (Fiorentina)

Khedira (Juventus)
2ª Escolha: Kessié (Atalanta)

Hamsik (Nápoles)
2ª Escolha: Birsa (Chievo)

Verdi (Bolonha)
2ª Escolha: Salah (Roma)

Callejón (Nápoles)
2ª Escolha: Bacca (Milan)

Icardi
 (Inter)
2ª Escolha: Milik (Nápoles)

Maurizio Sarri (Nápoles)
2ª Escolha: Rolando Maran (Chievo)


BUNDESLIGA

Neuer (Bayern)
2ª Escolha: Horn (Colónia)

Lahm
 (Bayern)
2ª Escolha: Piszczek (Dortmund)

Hummels
 (Bayern)
2ª Escolha: Orban (RB Leipzig)

Mavraj (Colónia)
2ª Escolha: Sokratis (Dortmund)

Alaba (Bayern)
2ª Escolha: Guerreiro (Dortmund)

Kimmich (Bayern)
2ª Escolha: Weigl (Dortmund)

Rupp (Hoffenheim)
2ª Escolha: Oztunali (Eintracht Frankfurt)

Castro (Dortmund)
2ª Escolha: Malli (Mainz)

Ribéry (Bayern)
2ª Escolha: Thorgan Hazard (Monchengladbach)

Aubameyang (Dortmund)
2ª Escolha: Modeste (Colónia)

Lewandowski (Bayern)
2ª Escolha: Chicharito (Leverkusen)

Thomas Tuchel (Dortmund)
2ª Escolha: Carlo Ancelotti (Bayern)


LA LIGA

Oblak (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Pacheco (Alavés)

Juanfran (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Carvajal (Real Madrid)

Ramos
(Real Madrid)
2ª Escolha: Alexis (Alavés)

Godin (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Victor Ruiz (Villarreal)

Filipe Luís (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Piccini (Bétis)

Sergi Roberto (Barcelona)
2ª Escolha: San José (Athletic)

Kroos 
(Real Madrid)
2ª Escolha: Bruno Soriano (Villarreal)

Arda Turan (Barcelona)
2ª Escolha: Samu Castillejo (Villarreal)

Sansone (Villarreal)
2ª Escolha: El Zhar (Las Palmas)

Griezmann (Atletico Madrid)
2ª Escolha: Messi (Barcelona)

Suarez (Barcelona)
2ª Escolha: Gerard Moreno (Espanyol)

Mauricio Pellegrino (Alavés)
2ª Escolha: Zinedine Zidane (Real Madrid)


PREMIER LEAGUE

Lloris (Tottenham)
2ª Escolha: Stekelenburg (Everton)

Walker (Tottenham)
2ª Escolha: Bellerín (Arsenal)

Alderweireld (Tottenham)
2ª Escolha: Jagielka (Everton)

Koscielny (Arsenal)
2ª Escolha: Otamendi (Manchester City)

Kolarov (Manchester City)
2ª Escolha: Baines (Everton)

Fernandinho (Manchester City)
2ª Escolha: Wanyama (Tottenham)

Capoue (Watford)
2ª Escolha: Milner (Liverpool)

De Bruyne (Manchester City)
2ª Escolha: Antonio (West Ham)

Sterling (Manchester City)
2ª Escolha: Mané (Liverpool)

Son (Tottenham)
2ª Escolha: Alexis (Arsenal)

Aguero
 (Manchester City)
2ª Escolha: Lukaku (Everton)

Pep Guardiola (Manchester City)
2ª Escolha: Jurgen Klopp (Liverpool)

quinta-feira, 9 de junho de 2016

A MONTRA - ALEMANHA 2015/2016


Robert Lewandowski
Há cinco anos entre os melhores marcadores da Bundesliga, um bom Europeu pode lançar Lewandowski numa experiência galáctica. Para nós, é o melhor 9 do futebol mundial, mas ao contrário das outras principais figuras do Bayern, como Muller, Alaba, Neuer ou Boateng, não entranha completamente os valores do clube bávaro e parece estar acessível a uma mudança de ares. Por outro lado, em Madrid, o Real terá de forçar uma renovação num futuro próximo e tem de lidar cuidadosamente com a sanção imposta pela FIFA, e na Premier League, Liverpool, Arsenal e Manchester United precisam de um avançado de renome para sustentarem uma candidatura ao título. Veremos quem se antecipa a tomar Munique de assalto.

Pierre-Emerick Aubameyang
Sempre em crescendo desde que chegou a Dortmund proveniente do Saint-Étienne há três anos, Aubameyang fez uma época excelente, atingindo os 30 golos em todas as competições. Se após o regresso de Hummels a Munique e a partida de Gundogan para o Ettihad, o Borussia irá redobrar esforços para não perder mais nenhum elemento, por outro lado, o avançado gabonês tem repetido a vontade de envergar a camisola do Real, com uma estranha regularidade. Comparativamente a Lewandowski, caso Ronaldo ou Benzema venham a sair, tem a vantagem de se adaptar muito mais facilmente ao actual estilo dos blancos, não obrigando a uma restruturação tão vincada no Bernabéu.

Julian Weigl
Weigl é um miúdo de 21 anos que troça das estatísticas. Em ano de estreia na Bundesliga, nem golos nem assistências. Mas a sua inteligência e a capacidade de perceber o que se passa à sua volta, fizeram dele uma peça fundamental na recuperação operada por Tuchel em Dortmund e uma das revelações europeias do ano. Low integrou-o na pré-convocatória e, apesar da concorrência de luxo, pode ter uma palavra a dizer no percurso germânico em França. Não é crível que o Borussia esteja disposto a abdicar do seu jovem médio apenas um ano depois da sua chegada ao Westfalenstadion, mas seguramente que terá de lidar com um assédio constante.

Julian Brandt
Brandt é a referência de combate à estratégia do eucalipto que o Bayern tem implementado na Bundesliga, com o Leverkusen a resistir sucessivamente às propostas dos bávaros. Este ano, finalmente, percebeu-se o porquê de tanto interesse, com Brandt a assumir importância no onze de Schmidt e a apresentar um rendimento diabólico nos últimos meses da época, justificando a presença no Europeu, apesar de não ter superado o último filtro de Low . Francamente, fica a sensação de que a distância que separa Munique e Dortmund da equipa da Bayer aumentou nos tempos mais recentes, pelo que em Leverkusen se procurará resistir a qualquer saída, mas no caso de Brandt, a situação não é de todo preocupante: pode continuar a jogar com regularidade num clube de Champions antes de dar o salto, até porque, nos próximos tempos, não faltarão seguramente interessados.

Leroy Sané e Max Meyer
A saída de Draxler para o Wolfsburg abriu um precedente num dos clubes alemães que mais talento tem promovido à Bundesliga. Max Meyer, em ano de confirmação e a dois anos de finalizar contrato, e Leroy Sané, que finalmente explodiu na primeira equipa garantindo um lugar na convocatória para França, apesar de uma arreliadora lesão na segunda metade da temporada, são os nomes que requerrem especial atenção em Gelsenkirchen devido ao interesse que deverão suscitar este Verão. Um destino que se deverá definir num triangular entre a capacidade de resistência do Schalke, os milhões que Chelsea e os rivais de Manchester podem facilmente disponibilizar, ou a reconstrução de Klopp em Anfield, cujo desenho parece alicerçar-se em talentos provenientes do campeonato alemão.

Chicharito Hernández
Em Leverkusen, com o regresso aos golos, Chicharito recuperou estatuto e mercado. Para além disso, tem experiência acumulada em dois dos maiores clubes do planeta, onde aceitou assumir um papel de rotatividade, o que lhe pode abrir ainda mais perspectivas. Com todos os grandes da Premier de cofres cheios e em busca de reforços para o ataque (apenas Aguero permitirá a Guardiola uma postura mais expectante), será uma surpresa se continuar pela BayArena na próxima temporada. Até porque Volland já está assegurado.

Julian Draxler
Com o escândalo da Volkswagen, a venda de De Bruyne e a revisão de ambições do Wolfsburgo por baixo, Draxler deve sentir que a saída do Schalke foi uma oportunidade perdida. E, sem competições europeias na próxima temporada, deve tentar corrigir o erro de trajectória. A definição do seu futuro para a próxima época poderá ter muito a ver com o que conseguir fazer durante o Europeu, onde terá oportunidade para salvar uma época, que salvo algumas exibições meritórias, nomeadamente na participação da Champions, foi demasiado modesta para o seu talento.

Mahmoud Dahoud
O primeiro futebolista nascido na Síria a actuar na Bundesliga, Dahoud foi outra das revelações da Bundesliga 15/16. Começou por dar nas vistas ainda com Favre, num início de época que deixou muito a desejar, e continuou a ser peça influente no Gladbach de Schubert, que voltou a carimbar o acesso à Champions. Termina a época com 5 golos, 8 assistências e muita gente interessada em contar com ele para o futuro. No entanto, com a venda de Xhaka para o Arsenal já confirmada, será difícil remover o Borussia de uma posição intransigente quanto a uma transferência já neste Verão.




Sebastian Rudy e Jonas Hector
Rudy e Hector têm em comum serem dois dos preferidos de Low na Mannschaft, apesar de estarem em dois clubes, onde no cenário actual dificilmente poderão almejar a títulos. Ambos nascidos em 1990, com 26 e 25 anos, tanto o polivalente defesa/médio do Hoffenheim, como o lateral esquerdo do Colónia, têm neste Europeu uma oportunidade para se mostrarem e darem o salto para clubes de outras ambições, seja na Bundesliga ou noutra das principais ligas europeias. Para além disso, apesar da influência que têm nas respectivas equipas, não nos parece que a possibilidade de uma transferência lhes seja negada, especialmente no caso de Rudy, que entra este Verão no último ano de contrato.

Bernd Leno
É outro dos alvos apetecíveis do Leverkusen, premiado com a presença no Europeu, onde deverá ser o terceiro guarda-redes alemão. Como temos referido, são poucas as mudanças esperadas entre os guarda-redes neste defeso, e com a mudança de Karius para Anfield, já se fechou uma das vagas que pareciam estar disponíveis. Mas pela idade, apenas 24 anos, e pelo valor e maturidade que já apresenta, Leno é um dos guarda-redes do futebol europeu com maior legitimidade para aspirar ao salto para um dos clubes de topo.

Granit Xhaka
A forte personalidade deste médio suíço já se vinha destacando na equipa de Favre nas últimas épocas e confirmou-se esta temporada com a transição para o comando de Schubert. Com 23 anos, já soma mais de 40 internacionalizações pela Suiça e mais de 100 jogos na Bundesliga, o que motivou Wenger e o Arsenal a uma abordagem ao mercado pouco habitual no passado recente, antecipando a concorrência que um maior destaque no Europeu pudesse originar. O valor de 45 milhões de euros parece-nos algo excessivo, mas as suas características colmatam na perfeição algumas das lacunas demonstradas pelo miolo dos Gunners nos últimos anos.

Ricardo Rodriguez
Apesar da boa prestação na Champions, internamente o Wolfsburgo não conseguiu dar continuidade às temporadas anteriores e ficou de fora dos lugares europeus. Neste cenário, as figuras mais cobiçadas da equipa, entre as quais se encontra Ricardo Rodriguez, verão seguramente o cerco apertar, em forma de pressão para viabilizar uma eventual trasnferência neste Verão. Até porque, com excepção do Chelsea, os Big 5 da Premier League estão todos necessitados de um incremento de qualidade na sua posição, com a agravante da capacidade que demonstra nas bolas paradas poder ajudar a decidir um daqueles encontros preso por detalhes. Para além disso, é um dos principais activos da compacta selecção helvética e com uma boa prestação em França, será muito dificil que permaneça na Bundesliga.

Jonathan Tah
Apesar de formado no Hamburgo, referenciá-mo-lo o ano passado como uma das figuras da segunda divisão alemão onde esteve emprestado em Dusseldorf e colocámos dúvidas sobre os benefícios de regressar à instabilidade do histórico clube alemão. Em boa hora o Leverkusen apostou na sua contratação, onde Tah assumiu com 20 anos a liderança do sector defensivo, ofuscando Toprak, André Ramalho e a memória de Spahic. Depois da estreia na Mannschaft em Março, não ultrapassou o filtro final de Low para o Europeu, mas viria a ser repescado devido à lesão de Rudiger. Em todo o caso, não será expectável que tenha grandes oportunidades face à indiscutibilidade de Hummels e Boateng, mas parece-nos improvável que faça carreira em Leverkusen face ao interesse que começa a gerar entre os principais colossos do futebol europeu.

Hiroshi Kiyotake
Em Hannover, a época foi para esquecer, com as saídas de Stindl, Joselu, Briand e Bittencourt a não serem devidamente acauteladas. O japonês Kiyotake acabou por assumir a solo o papel de figura da equipa mas, com a despromoção confirmada antecipadamente, parece de todo impossível segurá-lo na HDI-Arena. A cláusula de despromoção de 6.5 milhões de euros e os quatro anos de experiência na Alemanha, ao serviço de Nuremberga e Hannover, tornam-no num reforço apetecível para muitos dos clubes da Bundesliga, ou mesmo da Premier League.

Kevin Volland
Apesar da temporada do Hoffenheim ter deixado algo a desejar, o interesse que Volland tem despertado nos últimos anos não esmoreceu e o Leverkusen já assegurou o seu concurso para a próxima temporada por 18 milhões de euros. Nos quatro anos de Bundesliga, foi sempre uma das figuras do futebol ofensivo do Hoffenheim, onde apenas Firmino terá reunido mais portagonismo. Para já, Low descartou o seu contributo para o Europeu, mas tem tudo para fazer parte do futuro da Bundesliga, aliando à potência habitual dos avançados germânicos, velocidade e polivalência que encaixam na perfeição na renovada imagem da Mannschaft.

Andreas Christensen
Contratado pelo Chelsea com apenas 16 anos, Andreas Christensen é um dos poucos jovens que não se perdeu em Stamford Bridge, por chegar demasiado cedo aos grandes da Premier League. Agora com 20 anos, é um dos centrais mais promissores do futebol europeu e já assumiu a titularidade da selecção dinamarquesa. Para já, encontra-se num empréstimo de dois anos em Monchengladbach, onde foi determinante para nova qualificação para a Champions esta temporada, pelo que será pouco provável que mude de ares. Mas com a agitação que se prevê neste mercado de transferências e com o Chelsea a precisar de redefinir o centro da sua defesa, não seria de estranhar um regresso prematuro a Londres ou que o seu nome possa integrar alguma transferência bermudesca.

Niklas Sule
A lesão que sofreu o ano passado atrasou a evolução de Niklas Sule, um dos mais promissores jovens do futebol alemão, que tenta seguir as pisadas do seu agente, Karl-Heinz Forster, um dos melhores centrais do futebol mundial na década de 80. Esta época foi indiscutível na defesa do Hoffenheim, recuperando a cobiça dos principais clubes alemães e de alguns emblemas europeus, que aguardam pelo melhor momento para negociarem o seu resgate. Com uma presença física imponente, pode ser um perigo nas bolas paradas, mas surpreende pela facilidade na saída de bola desde trás, pelo que não é de espantar que seja repetidamente referenciado entre as possíveis investidas de Klopp no mercado alemão neste defeso.

Yunus Malli, Loris Karius e Jairo Samperio
O Mainz tem sido um clube de referência no futebol alemão, repetindo excelentes campanhas na Bundesliga fruto de apostas em técnicos sem provas dadas, que se têm revelado cirúrgicas. Martin Schmidt tenta seguir as pisadas de Klopp e Tuchel, mas este defeso promete ser uma tormenta para o treinador suíço, tal o êxodo que se adivinha entre as principais figuras da equipa, depois de nova qualificação europeia e disputa pela estreia na Champions quase até ao final da Bundesliga. Baumgartlinger já foi confirmado em Leverkusen. Loris Karius prepara-se para assumir a baliza do Liverpool. Yunus Malli, se conseguir confirmar-se como uma das revelações turcas no Europeu, dificilmente continuará em Mainz no próximo ano. E mesmo o extremo Jairo Samperio, recrutado em Santander, pode despertar cobiça e recuperar visibilidade no futebol espanhol ou seguir para outras paragens.

Daniel Didavi, Filip Kostic e Timo Werner
No hemisfério oposto ao Mainz, está o histórico Estugarda, que 40 anos depois enfrenta nova estadia no segundo escalão alemão. Neste cenário, convencer os principais activos do plantel a ficar no outrora Neckarstadion será uma tarefa difícil. Para já, Didavi, em final de contrato, tem o Wolfsburgo confirmado como destino certo. Enquanto isso, as duas jovens estrelas da equipa, o sérvio Kostic e o avançado Werner, seguramente serão aliciados com a permanência entre os maiores clubes alemães, queimando um ano de luta pelo regresso ao escalão principal,

Marc Stendera e Hans Seferovic
O Eintracht foi uma das desilusões da última Bundesliga, logrando apenas a manutenção no play-off final com o Nuremberga. Mesmo assim, o jovem Stendera, formado no clube, mas cuja permanência em Frankfurt tem adiado a sua afirmação como uma das maiores promessas do futebol alemão apesar dos curtos 20 anos, e o ponta de lança suíço Seferovic, que apontou o golo decisivo que valeu a permanência entre os maiores clubes do futebol alemão, dificilmente continuarão na Commerzbank-Arena, uma vez que estão a um ano de finalizarem o vínculo ao clube, o que lhes permite escolher livremente o seu futuro no Verão de 2017.

O impacto imediato que nomes nomes como Weigl, Tah e Kimmich, ou a um nível um pouco menos mediático, Stark, Mathenia e Heintz, tiveram na transição para a Bundesliga deve aguçar ainda mais o interesse que o segundo escalão alemão suscita em várias Ligas europeias. A começar nos dois conjuntos promovidos.

Em Freiburg, vários jovens foram preponderantes no rápido regresso à principal divisão germânica: os jovens internacionais alemães Marc-Oliver Kempf, central formado no Frankfurt, Christian Gunter, lateral esquerdo das escolas do clube, e o médio ofensivo Maximilian Philipp recolhem agora dividendos por permanecerem no clube depois da despromoção. O ala italiano Vincenzo Grifo, rei das assistências da 2.Bundesliga e ainda autor de 14 golos. Já com 27 anos, Nils Petersen, o goleador da equipa, foi outro dos destaques da temporada.

Em Leipzig, a Red Bull reintegra no mapa da Liga Alemã uma cidade de Leste e com um poder que promete uma intromissão rápida nos lugares de topo da tabela. Também neste caso, são muitas as promessas, apesar da dificuldade de desviá-los de um projecto que suscita muito curiosidade para o futuro próximo: o jovem central Willi Orban, o internacional austríaco Marcel Sabitzer, avançado com presença assegurada no Europeu de França, o defesa polivalente Lukas Klostermann e o ponta de lança Davie Selke, que regressa ao escalão maior depois de uma saída surpreendente de Bremen para a segunda divisão no Verão passado.

Nos restantes emblemas brilharam Simon Terodde, ponta de lança do Bochum já com 28 anos e máximo goleador da competição; o extremo direito suíço do Braunschweig, Salim Khelifi; o médio ofensivo Kerem Demirbay, com muitos interessados em desviá-lo da rota de regresso do empréstimo de Dusseldorf para Hamburgo; o extremo goleador Robert Leipertz, do Heidenheim; o jovem guarda-redes do Kaiserslautern, Marius Muller; o médio do Karlsruher, Boubacar Barry; Marc Rzatkwoski, jovem médio alemão, autor de sete golos e outras tantas assistências este ano no St. Pauli; e o avançado internacional norte-americano Bobby Wood, já contratado pelo Hamburgo ao Union de Berlim.

Em Nuremberga, depois do insucesso no play-off, fica para já adiada a presença na Bundesliga dos médios alemães Tim Leibold e Kevin Mohwald, bem como do ponta de lança austríaco Guido Burgstaller.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

A MONTRA - FRANÇA 2015/2016

Ousmane Dembélé
Com apenas 19 anos feitos já em Maio, teve uma estreia de sonho na principal divisão francesa, sendo a principal figura e o melhor marcador do Rennes com 12 golos. Considerado o melhor jovem desta edição da Ligue 1, impressiona a confiança com que enfrenta e supera defesas já calejados, recorrendo a uma espontaneidade e criatividade que não enganam. Apesar de muito pretendido um pouco por toda Europa, o Dortmund montou uma operação de antecipação que lhe permitiu garantir o serviço de uma das maiores promessas do futebol europeu. Tem tudo para ser uma das principais revelações da próxima Bundesliga.

Sofiane Boufal
A contribuição na primeira metade da época passada para a promoção do Angers valeu-lhe a mudança para Lille no mercado de Inverno de 14/15 e o impacto na estreia na Ligue 1 suscitou muita cobiça, especialmente por parte do Tottenham. Este ano, assumiu-se finalmente como a estrela da equipa de Renard (cuja saída para a selecção de Marrocos o convenceu definitivamente a abdicar dos bleus), primeiro, e Antonetti, na fase final da temporada, e teve papel decisivo na recuperação do Lille que assegurou a presença na próxima Liga Europa na última jornada da competição, já depois de Boufal se ter lesionado e ter terminado a época prematuramente. Para já PSG, Inter e Milan juntaram-se aos Spurs no rol de interessados, pelo que dificilmente continuará no Pierre-Mauroy no próximo ano.

Marquinhos
A rotatividade com Thiago Silva e David Luiz têm impedido a sua confirmação como um dos melhores centrais do futebol mundial e alimentam as especulações quanto a uma possível saída. Em Paris, dinheiro nunca será razão para deixar fugir os melhores activos do plantel, mas com apenas 22 anos e a titularidade praticamente garantida na próxima Copa América, veremos a que argumentos conseguirão recorrer os outros gigantes europeus (Barcelona, Chelsea, Ciy e United têm sido repetidamente referenciados) para desviarem Marquinhos da Cidade-Luz.

Corentin Tolisso
O ano passado já tínhamos dado conta do potencial da sua transferência. Esta época, um início desastroso do Lyon e uma arreliadora lesão atenuaram a valorização de Tolisso e retardaram a sua estreia na selecção principal francesa, pelo que a sua aquisição continua a ser uma oportunidade. Com apenas 21 anos e no Olympique desde os 13, é um dos melhores médios a jogar em França e mesmo com o lugar na próxima fase de grupos da Champions assegurado, a sua continuidade não será tarefa fácil, com Wenger e o Arsenal a assumirem-se como principais interessados.

Michy Batshuayi
Batshuayi emergiu da tempestade que caiu sobre Marselha, depois da saída de Bielsa. Com 17 golos e 9 assistências, foi a maior figura da equipa e um dos jogadores mais decisivos da segunda volta da Ligue 1, o que lhe deverá garantir um lugar entre os eleitos de Wilmots para o Europeu. Por outro lado, com os marselheses de fora das competições europeias, pode ser mais fácil conseguir convencê-lo a abandonar o Vélodrome, até porque metade da Premier League se acotovela pelo seu concurso. Para já, o belga resguarda-se em juras de amor ao clube francês e tem manifestado o seu desejo em continuar, mas na verdade, o defeso ainda nem começou.

Samuel Umtiti
No último Verão, foi um dos centrais mais cobiçados do futebol europeu, mas acedeu a permanecer em Lyon, continuando como patrão da defesa dos Gones. Mesmo com a razia de lesões no centro da defesa dos bleus, Deschamps não o incluiu nos 23 para o Europeu, pelo que aguardamos com alguma curiosidade que papel desempenhará no carrossel de centrais que se adivinha para este defeso. Com apenas 22 anos, Barcelona, Arsenal e Tottenham têm sido apontados como destinos prováveis e devem estar radiantes com o esmorecer da valorização do jovem internacional francês.

Alexandre Lacazette
O registo assombroso de Ibrahimovic impediu-o de repetir o título de melhor goleador da Ligue 1. Tem um perfil de mercado em tudo similar a Umtiti: muito cobiçado no final do ano passado, continuou em Lyon e também foi preterido na selecção dos 23 eleitos para o Europeu. Ainda assim, voltou a somar mais de duas dezenas de golos e aguardam-se novas investidas pelo seu concurso antes do início da próxima época. Lacazette já assumiu o desejo de sair para um clube de outras ambições, com o seu futuro a ser repetidamente associado à definição dos planos de Klopp e do comando técnico do Manchester United, ou aos novos investimentos que se aguardam no West Ham com a mudança para o Olímpico de Londres e consequente disparar de receitas.

Fabinho
Apesar do desinvestimento dos monegascos, o brasileiro continuou no principado e voltou a ser um dos melhores laterais direitos em França a par de Aurier. Com o projecto do Mónaco numa fase de indefinição e com presença assegurada na Copa América e provavelmente também nas Olimpíadas, dificilmente continuará por França, salvo se o PSG decidir coleccionar laterais e repetir em Paris a dupla que fez com Kurzawa na temporada passada. Neste momento, os rumores avançam a missão de reconquista dos rivais de Manchester como decisiva na definição do seu futuro.

Bernardo Silva
Apesar de alguma desilusão com o seu rendimento esta época, depois do brilhantismo da estreia na Champions e do desempenho no Europeu de sub-21, o seu nome continua a ser associado a grandes clubes como Manchester United e Juventus. Apesar de não parecerem ser os destinos ideais para a sua evolução, convém afastar o risco de estagnar em França e sair para outro campeonato e outros ambientes onde possa potenciar o seu enorme talento. A lesão no término da temporada deve tê-lo empurrado para o Rio de Janeiro, mas ainda assim aguardemos pelos planos de Jorge Mendes para uma das maiores pérolas da Gestifute.

Jean Seri
De Paços de Ferreira para Nice, Seri converteu-se numa das principais revelações da época em França e numa peça importante na excelente campanha dos comandados de Puel, em que só Mendy e Germain foram mais utilizados. O médio marfinense é mais um exemplo da capacidade que muitos clubes franceses demonstram todos os anos para desenvolver jovens talentos, validando a aposta que clubes e agentes portugueses têm colocado na Ligue 1 no passado recente. Para já, o seu nome não alimenta rumores, pelo que até um regresso a Portugal e a um dos grandes poderá ser uma possibilidade.

Wissam Ben Yedder e Martin Braithwaite
Uma milagrosa vitória em Angers, na última jornada, garantiu a continuidade do Toulouse na Ligue 1 e afastou a inevitibilidade da partida da sua dupla atacante, que este ano valeu 28 golos, superando as duas dezenas pela terceira temporada consecutiva. Os grandes de França têm assumido uma postura expectante, enquanto vários clubes do meio da tabela da Premier League apertam o cerco à parceria franco-dinamarquesa que dificilmente sobreviverá às hostilidades este Verão.

Javier Manquillo
No Vicente Calderón tenta-se compatibilizar a evolução de Maquillo com a confirmação daquele que terá sido o melhor lateral direito europeu do ano, Juanfran. Depois das boas indicações deixadas em Anfield, em Marselha, foi um dos indiscutíveis da equipa de Michel. A opção de compra proibitiva e os 30 milhões que parecem ter assustado a Juve deixam adivinhar novo empréstimo e abrem oportunidades para muitos clubes europeus, entre os quais poderíamos perfeitamente integrar Benfica e Sporting, pelo relacionamento privilegiado com os colchoneros.

Djibril Sidibé
Descoberto no Troyes, onde ajudou à promoção à Ligue 1, Sidibé aproveitou a partida de Debuchy para o Arsenal para se afirmar defintivamente no Pierre-Mauroy, migrando para a esquerda com o aparecimento de Corchia. Este ano, a par do renascido Maxwell, foi um dos melhores laterais esquerdos em França, sendo com apenas 23 anos, o futebolista mais utilizado duma época algo irregular do Lille e atraindo certamente o interesse de vários clubes, tanto em França como noutras Ligas, apesar de ter sido preterido por Digne para o lugar de suplente de Evra na selecção francesa. Se acreditarmos nos rumores, Watford e Lyon parecem estar na linha da frente entre os possíveis destinos do polivalente lateral francês.

Ryad Boudebouz
Boudebouz é mais um nome que reflecte o abastecimento da selecção argelina no futebol francês. Com a experiência acumulada na Ligue 1 ao serviço do Sochaux e Bastia, fez este ano no Montpellier a melhor época da carreira, sendo mesmo um dos destaques da competição, com as suas 12 assistências para golo a serem apenas superadas por Di Maria e Ibrahimovic, do campeão PSG. Apesar dos seus 26 anos, a afinidade com o entusiasmo gerado por Mahrez na campanha épica do Leicester deverá chamar a atenção de vários clubes de ambos os lados do Canal da Mancha, não sendo também de descartar o reavivar de interesses antigos dos principais emblemas da Serie A ou dos milionários clubes russos.

Andy Delort
Há dois anos foi o melhor marcador da Ligue 2 e integrou a equipa do ano da competição ao lado de outros nomes que agora despontam, como Kanté, Aréola ou Sakho, o que lhe valeu a transferência para o Wigan da Championship, onde não teve uma experiência bem sucedida. Com 24 anos, esta foi a melhor época da sua carreira, assumindo-se como a referência ofensiva do surpreendente Caen e assinando 12 golos na principal divisão francesa, sendo o principal candidato a uma transferência que contribua para o recheio das contas do clube, na sequência das saídas no passado recente de nomes como Niang, Hamouma, Heurtaux, Raphael Guerreiro, Lemar ou Kanté. Leicester, Celtic e Wolfsburg têm sido os alvos atribuídos pelos media nos últimos tempos.

Youssouf Sabaly
Internacional francês desde os sub-17 e campeão do mundo de sub-20, Sabaly é um produto das escolas do PSG, que o tem colocado a rodar noutros clubes da Ligue 1. Depois de dois anos a titular no Evian, foi um dos destaques do Nantes 15/16 de Der Zakarian. Com a saída de Van der Wiel, forma-se a dúvida quanto ao seu futuro imediato: regressar ao Parque dos Principes ou continuar a rodar em França ou mesmo noutra Liga europeia, onde possa evoluir num clube com outras ambições.

Seko Fofana
Á semelhança de Sabaly no PSG, Fofana é um dos excedentários do City. Com 21 anos, amadureceu imenso este ano no Bastia e foi um dos pilares da equipa para uma época tranquila. Resta saber se conseguirá convencer Guardiola e dispor de uma oportunidade nos Citizens na próxima temporada, se continuará a rodar mais um ano ou se o City o vende definitivamente, uma vez que o vínculo ao clube termina no Verão de 2017.

Diego Rolán
Não conseguiu repetir os números da temporada passada, onde a par de Khazri foi um dos destaques do Bordéus e uma das revelações em França. Em todo o caso, não perdeu mercado e o seu nome continua a alimentar a cobiça de vários clubes de meio da tabela das Ligas do Top5, apesar da nega que levaram Stoke, Newcastle e West Brom no mercado de Inverno. Se conseguir sair da sombra de Cavani e Suarez na Copa América, é muito provável que esse interesse se substancie já neste Verão.


De Préville, Mandi & Oniangué

O regresso inesperado do histórico Stade Reims aos escalões secundários deve ser argumento suficiente para que as principais figuras da equipa forcem uma mudança de ares. A excelente época do avançado Nicolas de Préville, que assinou 6 golos e nove assistências e tem sido associado ao Rennes; o sucesso na adaptação do polivalente argelino Aissa Mandi ao centro da defesa, que à entrada para o último ano de contrato tem muito mercado em Itália e Inglaterra; e o explosivo médio internacional congolês Prince Oninagué podem converter-se em alvos apetecíveis para muitas equipas que se candidatem a viabilizar a sua permanência na Ligue 1 ou a atrair a sua mudança para outras Ligas.

Yannis Salibur
Proveniente dos escalões de formação do Lille, onde eram habituais as comparações com Eden Hazard, este jovem internacional francês andava escondido na segunda divisão francesa. Já com 25 anos, com a mudança para o Guingamp, a estreia na Ligue 1 foi auspiciosa, repartindo com Briand a notoriedade entre os pupilos de Gourvennec. Os 7 golos e 6 passes para golo com que contribuiu para a manutenção do EAG podem não ser suficientes para justificar uma transferência no imediato, mas seguramente que o colocarão sob observação de clubes com outras ambições durante a próxima época.
A Ligue 2 é uma das ligas mais equilibradas em toda a Europa, onde a probabilidade de vitória dos favoritos é frequentemente inferior ao habitual, tal o número de empates acumulados jornada a jornada. Com esta competitividade, não é de estranhar que muitos dos jovens que aí evoluem não acusem a mudança para ligas superiores. No campeão Nancy, especial destaque para duas pérolas formadas no clube, Youssef Ait Bennasser, médio de 19 anos que está na calha para se estrear pela selecção principal de Marrocos, e Clément Lenglet, defesa central internacional sub-21 francês, que integrou a equipa do ano da competição. Em Dijon, estiveram em especial evidência, o campeão do mundo sub-20 em 2013, Christopher Jullien, defesa central e improvável goleador com 9 golos, e que justificou o regresso ao promovido Freiburg, e Lois Diony, avançado de 23 anos, ambos nomeados para o dream team da temporada na Ligue 2. No Metz dos portugueses Candeias, Tiago Gomes, André Santos e Nuno Reis, último dos promovidos, o extremo direito franco-marfinense Yeni N'Gbakoto foi uma das figuras da competição, sendo totalista e contribuindo com 12 golos e 11 assistências para o regresso à Ligue 1. O Le Havre morreu na praia, mas confirmou um jovem de 20 anos da casa, Lys Mousset, segundo melhor marcador da liga, com 14 golos. No surpreendente Red Star orientado por Rui Almeida, o médio ofensivo franco-tunisino Naim Sliti foi uma das revelações da temporada e fez também parte da equipa do ano da liga. O médio Wylan Cyprien repetiu as boas indicações dadas na estreia na Ligue 1 e foi um dos melhores do Lens. No Clermont, moraram o goleador e melhor jogador da Ligue 2 esta época, Famara Diedhiou, emprestado pelo Sochaux, mas cujos 21 golos lhe devem assegurar uma mudança para um clube de outras ambições já neste Verão, o jovem médio internacional Adrien Hunou de regresso ao Rennes, e o médio ofensivo franco-argelino Farid Boulaya. Alexandre Vincent, extremo esquerdo formado no Auxerre foi a revelação da equipa este ano. O central de 19 anos Florian Miguel destacou-se no Tours. No Brest, o central Simon Falette deve regressar ao Lorient, depois de ter também ele integrado a equipa do ano da Ligue 2. O internacional senegalês Pape Sané também aproveitou da melhor forma o empréstimo ao Bourg-Péronnas, para justificar com os 12 golos apontados o regresso ao Caen. Da mesma forma, o avançado marroquino Rachid Alioui deve regressar ao Guingamp depois do empréstimo no Laval. No Nimes, a dupla ofensiva constituída pelo jovem francês Anthony Koura e pelo internacional pelo Benim Steve Mounié foi determinante, com Mounié a ter já confirmado o bilhete de regresso ao Montpellier. Jérôme Onguéné, defesa de apenas 18 anos internacional sub-16, 17 e 18 pela França, teve uma estreia prometedora pelo Sochaux. E finalmente, as 9 assistências do médio brasileiro em final de contrato Gustavo Campanharo foram insuficientes para impedir a segunda despromoção em dois anos do Évian, mas devem seguramente ter atraído muitos interessados de ambos os lados do Atlêntico.